Terça-feira, 8 de Outubro de 2013

Coração bate forte

 

 

“Nunca amamos ninguém."
Amamos, tão somente, a ideia que fazemos de alguém. É um conceito nosso em soma é a nós mesmos que amamos.
Isso é verdade em toda a escala do amor.


Fernando Pessoa

Image and video hosting by TinyPic
publicado por Alzira Macedo às 09:31

link do post | comentar | ver comentários (2) | favorito
Sexta-feira, 4 de Outubro de 2013

Imagem que não é a minha...

 
 
 



 
 
 
 
 
 
 
 
 
 
 





Nem sempre tenho tempo ou imaginação,
para escrever algo da minha autoria...
Não preciso dizer o quanto a net é fantastica e ajuda a preencher algum espaço.
Hoje Achei que sim, que esta imagem tinha direito de cá estar...


Alzira Macedo
 
 
publicado por Alzira Macedo às 14:39

link do post | comentar | ver comentários (4) | favorito
Terça-feira, 1 de Outubro de 2013

Disfarçada em poeta...

 

 

 



Disfarçadamente escrevi


Folha em branco peguei….
Em folha branca li, ou imaginei
já não sei…
Escrevi sem tinta, sem linhas
ouso dizer que escrevi, sem saber o que dizer
o importante é que consigo descrever-te,
Com tinteiro transparente
és o desenho da minha mente
escreve poeta
escreve…
Deixa linhas em branco
mas nunca deixes de escrever
leva ao mundo o teu ser
ou o deles…
Nas asas do pensamento
empurrado pelo vento, sem perder norte
Desejando aos navegantes do sonho
boa sorte
na conquista
na partilha
no aprender
e no dizer
essencialmente no sentir
veia poética não é escrever
é fazer-te sonhar e nunca acordar
deixar o amor no ar
semente pura, para semear
recolher e desfrutar
deixando o tempo suficiente para amar




Alzira Macedo


publicado por Alzira Macedo às 00:46

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Segunda-feira, 26 de Novembro de 2012

Quando a tristeza nos invade…

 

 

Tenho meus olhos cobertos de lágrimas, ansiosas por partirem  
Tenho pensamentos em minha mente, ansiosos por saírem  
Tenho desculpas pendentes no meu existir  
Tenho palavras que por mais que tente nunca irão s...
air Terei culpa, serei o culpado, por procurar a tristeza?
Não, não serei culpado, por lutar para manter a chama acesso  
Não serei culpado, por ser apenas quem eu sou  
Não sou falso, tudo o que tenho e faço é tudo o que te dou Porque duvidam?
Terei de mudar para ser visto positivamente  
Terei de ser quem eu não sou e agir de um modo diferente  
Para muitos sou perfeito, eleito, um amigo, e mesmo namorado  
Para outros sou falso, imaturo, fraco ou até desinteressado
São precisos vários momentos para poder me conhecer  
Mais alguns para perdoar, e uma vida para evitar sofrer  
Não sou quem a primeira imagem por vezes aparenta  
Sou quem eu sou, não a imagem que outra pessoa ostenta
Faço tudo por quem merece, e são esses que mais me magoam  
Com discursos, de quem pensa saber tudo, simplesmente enjoam  
Gostava de por vezes conseguir e poder perdoar  
Mas o que me garante, que não vais voltar novamente a errar?
Prova-me, mostra-me que me conheces e que te preocupa  
Que o sentimento de me perder para um sempre te assusta  
A mim assusta muito, sobretudo pensar que possa ser culpado  
Num crime que não cometi, mas pelo qual acabo sendo julgado
Dizem que a tristeza, traz um culminar de maus momentos  
É verdade, vai-se a passividade de pensar por certos tempos  
Vai-se a calma, a ponderação, e apenas fica a vontade de chorar  
Quando erramos e não pensamos como é assim ficar
Sou um caçador de sentimentos, não detesto a tristeza  
Detesto sim ficar triste sem aproveitar sua beleza  
É verdade, há que pensar positivo na tristeza que me envolve  
Ou não conseguiria escrever tanto sobre a tristeza que me cobre

 

 


(texto de autor desconhecido)
"Tendo um pouco de todos nós"

 

 

 

sinto-me:
publicado por Alzira Macedo às 08:30

link do post | comentar | favorito
Sábado, 3 de Dezembro de 2011

fugi de mim


Eu e somente eu...


Um percurso de vida muito preenchido
uns momentos de glória, de ilusão
de sentimentos partilhados
Onde sorrimos, para quem não tem sorriso
que vivemos, para quem não tem vida
caminhamos num lugar oposto ao nosso
e não o sentimos
enganamo-nos no nosso percurso,  sem dar-mos conta….
Um belo dia acordamos e tudo que era fantástico deixou de ter sua magia
voltamos, ao ponto de partida
refugimo-nos nos nossos escritos de uma vida cheia de sorrisos falsos
ainda nos sentimos culpados
porque será?
Pela ingenuidade!
Ou pela cede de querer ir mais alem das nossas capacidades?
Agora cá estou eu,  
no meu muro de lamentos
onde tudo é inútil
onde apenas desabafo o que me vai na alma
de nada me arrependo
até porque foi uma aprendizagem de vida
Também tive momentos de grandes sorrisos
Mas senti sempre um desconforto em mim
não sabia onde o decifrar
hoje reconheço que foi de deixar de aqui estar
nada é perfeito na vida
nem eu, nem tu, nem ninguém
A humildade em reconhecer que erramos
faz-nos voltar aos locais onde nos sentimos mais felizes
Meu lugar é aqui
perante vós,
perante o escrever o que me vai na alma
è aqui que sou eu
é aqui que me sinto realizada
No meu cantinho onde ninguém me lê
e posso ser eu própria sem me esconder



 

 

 

Alzira Macedo

 

 

 

 

 

 

 

 

 

publicado por Alzira Macedo às 03:18

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Quinta-feira, 22 de Julho de 2010

Com vontade...

 

 

Renascer

Irá renascer poesia em mim
quando me distanciar
do que tenho
do que perco
e do que irei adquirir
poesia irá renascer outro dia
desde que viva amor
desde que as estrelas brilhem
mesmo noutro país
o brilho será meu
Pela conquista
pelo renascer
da minha alma
do meu voltar a viver
deixando tristezas
assim como alegrias
Mas não o suficiente para ficar
irei reflectir um novo luar
se deitando no mar
esse que tanto amo
que tanto confio minha dor
onde há lamento e clamor
onde há lágrimas e sorrisos
onde tudo segredei
da mais pura verdade, que aqui nunca contarei…
 
 
 
Alzira Macedo
 
 
 
 
sinto-me: renascer
musica: De nina e mujer
publicado por Alzira Macedo às 22:37

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito
Sexta-feira, 2 de Abril de 2010

Abri a janela...

 

 

Janela da vida



Debrucei-me na janela da vida,
Observei momentos vividos
Paro, reflicto…
O que vivi, o que deixei por viver
O que vivo…
O que ainda tenho para viver…
Rica de vivencias,  
concordo…
Mas rica de desventuras
de desperdícios,
de vivencias enganosas…
Sempre com um sorriso
ou com uma lágrima
sou o espelho de mim…
Da verdade,  
feita por mim própria
Analiso…
concordo com Pessoa,  
quando diz que poeta é fingidor
Pela forma de fazer encantar,
sem o sentir…
Não é mera ilusão…
Mas sim, desabafo da alma,
do que pretende atingir
sem conseguir…
então sonha-se em palavras
em miragens…
Alguém se entende, se reconhece…
Vive,
sonha com essa magia
Quem escreve, vive o presente..
O momento…
Mas nunca uma realidade…
Vivemos num mundo de frieza,
de fingimentos…
Até no do próprio sonhar··
Só assim conseguimos nossa meta alcançar.
Essa de fazer sonhar
 
 
Alzira Macedo
 
 
sinto-me: Verdadeira
musica: Sou louca por ti...
publicado por Alzira Macedo às 22:17

link do post | comentar | ver comentários (11) | favorito
Terça-feira, 9 de Fevereiro de 2010

Segue-me

 

 

Pediste-me para escrever

Ao som da melodia que ecoa suavemente
me encontro só…
 contigo e com o universo
palavras roucas de prazer, invadem minha alma
meu mundo
como te quero
como te preciso
te procuro
o destino esconde de mim o melhor que está para vir
ou o pior que já me aconteceu
Desconheço
as curvas a contornar
os caminhos a enfrentar
cegamente, me encaminho
sentindo
buscando
ansiando
longe no horizonte te encontras
não te vejo
sinto
encontro um leve versejar
que me dá coragem de enfrentar
obstáculos
lágrimas soltas
gemidos reprimidos
de prazer ou mesmo loucura
como anseio ter as respostas certas
a formula de conseguir atingir sem sofrer
A vida é uma maratona
de conquistas e derrotas
um turbilhão de sentimentos
que num momento não estão
 e de repente o mundo se transforma
eu
 cá fico esperando dias melhores
enquanto isso vou-me evaporando no tempo
te deixando os melhores momentos
Que me resta…
meras recordações
de fragmentos do tempo
cansei-me de falar em amor
torna-se monótono
torna-se igual a sempre
escondido nas lua,  nas estrelas
quero algo diferente
enfrento o mundo
mesmo o planeta
quero ser diferente
ser apenas eu
com mau feitio
meu sorriso
  que nasceu comigo
o teu
que ainda não desenvolveste
quero mudar este ritmo do bom comportamento
simplesmente desafiar ou aniquilar
estas tempestades que me fazem a vida desafiar

Alzira Macedo

 

 

 

sinto-me: Desafiadora
musica: Eu Juro
publicado por Alzira Macedo às 22:56

link do post | comentar | ver comentários (15) | favorito
Terça-feira, 12 de Janeiro de 2010

Descobre o sentido da vida...

 

 

 

 

A vida…

 

Descobre que a vida…
 È contada em minutos…
Temos pouco tempo para tudo construir!
E desta vida usufruir.
Por isso constrói,
 algo de novo em cada dia…
Dividindo o teu tempo com sabedoria.
Não te esqueças do próximo,
lida sempre com a verdade…
Facilmente encontrarás
 o caminho da felicidade.
Almas cansadas…
 No teu caminho, te irão perturbar,
A ti…
 De ser forte e não desanimar.
Lembra-te
 Que o tempo não para,
 e da tua vida está a descontar.
Não percas tempo desnecessário a pensar,
O que foi ontem, já passou…
olha e sorri para o amanha.
Despede-te das ilusões,
fracassos e decepções,
Constrói uma ponte,
 onde passas os laços de afecção.
Que sejas motivo de inspiração,
Para ti…
E os teus que não encontram solução.
Que sejas soberano por guiar os navegantes,
Mesmo que se tratem de ignorantes.
Lembra-te
que a vida passando por ti,
 nunca voltará a ser como era antes.

 

 

Alzira Macedo

 

 

 

 

sinto-me: vivida
musica: Quando voçe vem me abraçar
publicado por Alzira Macedo às 23:15

link do post | comentar | ver comentários (9) | favorito
Domingo, 10 de Janeiro de 2010

Busca sentida.

 

 

 


Mais um acordar sem ti…

 

 

 

 

 

  Na madrugada fria…
Que nem o calor da lareira conseguia me aquecer …
Para que pudesse entrar no sono profundo e temperador da alma e do corpo…

Acordei … Com a tua ausência, o silencio se instalou…
O desejo de te ter, de te pertencer, de me agarrar a ti e sussurrar-te, o quanto preciso de ti.
Foi se resfriando…

Onde estarás tu, por onde andas que não te vejo, que não te sinto…
Porque se instalou este abismo entre nós…
Qual de nós se deixou cair primeiro nas trevas mais profundas da vida, ou do desencontro das nossas almas.

 Lá fiquei eu, fitando o teto do meu quarto,  que passou a ser  o azul do céu…
Onde a onde…  Vi uma estrela cintilante,  como me quisesse fazer caminhar…
Num pestanejar de olhos,  vi a lua caprichosa olhando para mim, meia escondida tentando perceber o que me ia na alma e o porquê de não ser ela o meu aconchego…

E sim tu…

Senti vontade de caminhar pela calçada das ruas vazias…
Como se cada passo fosse em direcção a ti.
Como se cada estrela,  me desenhava o destino da minha felicidade, onde minha alma sentiria paz…

Que acordar mais solitário, carregado de silêncio e saudade….

Encontro-te na minha escrita, neste meu livro que ninguém lerá, que ninguém perceberá…
·
Confundo me, com as palavras que nunca direi e nos sentimentos que crescem dia a dia.
Incansável,  caminho nas curvas que perdi na vida, procurando saber onde errei.
Onde me esqueci de virar, de te seguir…
Não consigo... Esse caminhar está cada vez mais penoso, sinto-me fraquejar, minhas forças desfalecem,  obrigando-me ajoelhar no chão frio e duro, bradando os céus e gritar…

PORQUÊ…

Fecho os olhos querendo fugir dessa curva, entrei noutra…

Encontrei-me em frente ao mar, desaguando todas as minhas magoas e desesperos.
Querendo mesmo nele entrar e nele morar…

Uma realidade me chamou!
Olhei para trás e sorri…
Regressei pensativa, se não caminhar por ti…
Por nós…
Então caminharei por mim…
por eles…

Sacudindo energeticamente todos esses sentimentos,  que me baralharam a mente, me levantei…

Suspirei bem fundo, ergui costas, enfrentei o meu rosto, olhei-me no espelho e disse  bem alto como se me quisesse dar forças a mim própria…

(Menina limpa essas lágrimas e segue teu caminhar, na vida não podemos mudar os outros…
Mas os outros,  também não te podem mudar)

A manha já tinha nascido, o dia tinha despertado, saímos de casa meus filhos e eu…

Qual agradável surpresa…

 

  Nevava…


Linda leve, caia a neve sobre nós…

Olhamos uns para os outros maravilhados pela paisagem que se mostrava á nossa frente…
Recordamos o passado onde muitas vezes a neve, nos chegava até aos joelhos…

Felizes saltitando e cantarolado percorremos o caminho até á Igreja da paroquia…

No regresso a neve caia com mais intensidade…
Os farrapos de neve eram maiores, cantei cai neve, neve cai que és tão linda…
E de verdade a neve caía ainda mais, meus filhos gargalharam e comentaram “mama mandas na neve…”
(Diz para que ela não pare…)

Sorrindo, cantando e correndo viemos até casa…
Onde agora me sentei e escrevi este novo amanhecer em minha vida…

Outras manhas virão, seguidas com outros escritos …
Dou asas ao pensamento, á vivencia, á escrita…
Só assim me sinto feliz e realizada…


    Nesta sádica busca de te encontrar…


 

Alzira Macedo

 

musica: Cai Neve em Nova York José Cid
publicado por Alzira Macedo às 12:06

link do post | comentar | ver comentários (5) | favorito

Visitantes


jeux de casino internet

Sou assim...

Julho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
30
31

pesquisar

 

posts recentes

Coração bate forte

Imagem que não é a minha....

Disfarçada em poeta...

Quando a tristeza nos inv...

fugi de mim

Com vontade...

Abri a janela...

Segue-me

Descobre o sentido da vid...

Busca sentida.

Sinto-te melancolia...

Liberdade adquirida...

mais comentados

Arquivos

Julho 2014

Abril 2014

Março 2014

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Março 2013

Novembro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

favorito

A perfeição...

As Contradições do Amor

Quem serei eu

Alzira Macedo-dueto-Sonho...

Teu Nome

Homem do Mar

Amanhecer

Somente Tu

Um pouco sobre mim ...