Quinta-feira, 6 de Março de 2014

Mulher vulcão

 




 

Que dirias se um dia eu partisse
meus sarrabiscos nunca mais lesses
meu sorriso nunca mais vices
minha voz nunca mais ouvisses
minhas mimicas ficariam frígidas
pelo rigor dos músculos que não movem
não sentem
ás vezes no silencio do meu quarto penso na minha partida
vaguei-o na branda lembrança...
dos dias em que sorri
em que para ti percorri sonhos com a certeza da solidão
levava comigo a força do vulcão
gritei toda a raiva que o amor me ditava
toda a calma que a alma aclamava
tudo quanto soube em ti depositei
hoje nada mais sei
Sei apenas que se partisse
algumas lagrimas iriam juntar-se ao rio
o tempo, apenas o tempo do aliviar a consciência
Depois a primavera voltaria noutro sorriso
noutra voz, noutras poesias
e eu...
Ficaria eternamente calada sem sentir
sem cheirar, sem sorrir, até mesmo sem chorar
o tempo passa fico como a lembrança branda
de um dia ter dito, desejado e nunca vivido
Acordei...
acordei de um sonho ou pesadelo
de uma luta ou uma treva
só sei que acordei
Sorrio á vida quero nela permanecer
ser amor vulcânica rebentar o que vai em mim somente em mim
se por ti já tinha morrido
aprisionada ao grisalho de cada manha
á voz que não pode libertar-se
o sorriso coberto pela lagrima
e tanta pagina branca ficaria
essa que só eu posso preencher
que só eu posso escrever
para isso necessito viver
viver a liberdade que me viu um dia nascer...

 





                                                                                                                                                     Alzira Macedo



http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
publicado por Alzira Macedo às 00:24

link do post | comentar | ver comentários (1) | favorito
Quinta-feira, 9 de Abril de 2009

Frase do dia...

 

 


Imagem e frases retiradas da net sem autor
E composto por mim

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
sinto-me: pensativa
musica: troquei você por outra
publicado por Alzira Macedo às 08:41

link do post | comentar | ver comentários (19) | favorito
Sexta-feira, 18 de Abril de 2008

A mulher no seu melhor

Para vós amigas, que neste momento estais a lutar, com a dor, a espera de uma palavra
"o amor"
aqui vos deixo um dueto de uns amigos poetas em que falam da mulher antiga e da moderna...
isso é antes e depois de se terem reencontrado e aprender a valorizarem-se...
um beijo com carinho....

ANTIGA MULHER!

José Geraldo Martinez


Ela vestiu-se tão linda...
Um vestido branco bordado!
Soltou os cabelos nos ombros,
um batom nos lábios pintados.
Não escondeu as pequenas rugas,
comuns na meia idade da mulher...
Nem os cabelos grisalhos,
com uma pintura sequer!
Calçou uma sandália de salto...
Perfumou-se no banheiro!
Sorriu de bem com a vida,
quando se viu no espelho!
Abriu a porta da sua casa
E, um minuto antes de sair,
despediu-se do pequeno mundo
que a via de sonhos florir!
Saiu para vida,
olhando a cidade a passar.
Pessoas, avenidas, viadutos,
jogou do carro, o celular!
A lua era crescente e
a noite com as Três-marias...
Pegou uma estrada sem destino,
nem se importou onde daria!
Abriu da porta, a ventarola,
deixou-se com o vento brincar...
Vinha com cheiro das montanhas,
das encostas de beira-mar!
 Apertou o cinto,
acelerou!
Amou-se pela primeira vez
 e a cidade foi sumindo
 pelo seu retrovisor...
Naquele dia, renascera.
Linda, viu-se!
A antiga mulher?
Morrera
no dia que se descobriu!

 
***
 
 NOVA MULHER!
 
Guida Linhares
 
 
Sorriu...
ao sentir-se redescoberta!
Por tanto tempo deixara
que os sonhos ficassem
atrás de brancas nuvens,
às vezes por inconformismo
com os trâmites da vida,
outras vezes por acreditar
que a seu tempo
tudo viria...mas não veio!
Será que faltou a ousadia,
a coragem de buscar o amor,
ou então a prisão
aos conceitos e preconceitos
a deixaram paralisada
e sem ação efetiva.
O tempo foi passando,
e os cabelos começaram
a receber flocos de neve,
enquanto o relógio marcava,
as horas solitárias,
de noites insones
e dias compridos demais,
debaixo do sol forte,
ou em chuvas de lágrimas
enxugadas rapidamente,
pois todos deveriam pensar,
que era uma feliz mulher.
No fundo ela sabia,
que a sua postura satisfazia,
àqueles a quem se acostumara,
em sua vida pacata e linear.
Mas em si mesma,
eram tantos os vazios,
e a desmedida carência afetiva.
Naquela tarde,
despiu-se por inteira,
olhou-se ao espelho,
conferiu o corpo,
acariciou as rugas,
http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
publicado por Alzira Macedo às 23:17

link do post | comentar | favorito
Sexta-feira, 7 de Março de 2008

Ser Mulher...

 

                                               

 

È de facto uma barbaridade ser mulher em paises como a Turquia, Paquistao,Marocos e tantos mais...
Mas essa barbaridade é nossa, Europeia, porque nâo entendemos esse modo de viver e não achamos justo porque nâo o  é....
Religiâo ou nâo religiao, elas tem o direito de poder decidir se querem ou nâo cobrir todo o seu corpo inclusive o rosto para nâo serem vistas por outro homem a nâo ser aos que elas estao prometidas ou casadas...
Em contrapartida os homens tem direito a terem 7 mulheres....
Aonde está aqui a igualdade?
Agora outra barbaridade maior ,é quando os nossos homens Portugueses, nos dizem a nós mulheres, termos sorte de sermos mulheres Portuguesas!!!
Agora pergunto eu... Será que falam assim porque eles preferiam ser homens desses paises?
Fico por aqui... Pensem no assunto.

           


Portugal é o reboque de toda a Europa….
Para alem de termos vivido 50 anos de fascismo a liberdade conquístada  em 25 de Abril 1974 trouxe talvez um pouco de sonho… Porque estamos adormecidas ( Sabemos que existe algo que tem de ser alterado, mas nada fazemos para isso.)

Como é possível que as mulheres no seculo XXl ainda tem medo de votar o contrario do marido (Se o voto é secreto! Que ainda não tira tempo para si e os seus lazeres porque o marido está em casa e não gosta muito)
enquanto existir a violação domestica assim como restrição do sexo feminino em postos de trabalho.  
I
ncrível mas verdade…  A mulher em Portugal continua a ter o salário mais baixo do que o homem fazendo o mesmo trabalho.
Falo por mim e por todas as mulheres, não sou revolucionária, mas não encaro nada bem com a injustiça…
Agora pergunto sinceramente, que temos nós mulheres para sermos tão descriminadas?
Qual é o motivo de ao homem ser dado todo o direito, se por ventura alguma mulher fizer o que os homens fazem é lhe logo apontado o dedo mesmo pelas próprias mulheres…
devemos festejar o dia internacional da mulher….
Porque serve para alertar que não nos conformamos, e nem sequer devem esquecer e desrespeitar a nossa capacidade de assumir qualquer cargo político, assim como a nossa inteligência não se (compra na dita loja dos trezentos)


Deixem de ver as mulheres como objectos, mas sim como seres humanos…

 

 

 

                                                                                                                              Alzira Macedo

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
publicado por Alzira Macedo às 13:15

link do post | comentar | ver comentários (7) | favorito
Quinta-feira, 6 de Março de 2008

Falar com franqueza

 

 

Estamos a chegar ao dia 8 de Março “dia internacional da Mulher”

Penso que a maioria das pessoas festejam esse dia, sem ao certo saberem porque existe o 8 de Março marcado com o dia da mulher…
Reparo que grupos de mulheres se juntam e vão jantar fora para comemorar esse dia…
comemorar o quê pergunto eu?
Não me sabem responder, apenas dizem satisfeitas hoje é o nosso dia, e as gargalhadas começam…
Eu diria mesmo que aproveitam esse dia para poder jantar fora sozinhas sem os maridos…
Foi para isso que tantas mulheres perderam a vida, para que no século XXl ainda não conheçam a historia do dia 8 de Março…
Pois se me dão licença eu vou passar a publicar alguns momentos marcantes, Mulheres inesquecíveis, e um pouco da historia do dia da mulher…
Não é que seja feminista porque não sou, apenas sou um ser humano que luta pela igualdade dos povos…
E há datas marcantes que merecem serem lembradas…


“ Todos os cidadãos têm a mesma dignidade social e são iguais perante a lei. Ninguém pode ser privilegiado, beneficiado, prejudicado, privado de qualquer direito ou isento de qualquer dever em razão de ascendência, sexo, raça, língua, território de origem, religião, convicções políticas ou ideológicas, instrução, situação económica ou condição social.”

 



O dia 8 de Março é, desde 1975, comemorado pelas Nações Unidas como Dia Internacional da Mulher

Há 145 anos, no dia 8 de Março de 1857, teve lugar aquela que terá sido, em todo o mundo, uma das primeiras acções organizadas por trabalhadores do sexo feminino. Centenas de mulheres das fábricas de vestuário e têxteis de Nova Iorque iniciaram uma marcha de protesto contra os baixos salários, o período de 12 horas diárias e as más condições de trabalho. Durante a greve deu-se um incêndio que causou a morte a cerca de 130 manifestantes.
Em 1903, profissionais liberais norte-americanas criaram a (Women’s Trade Union League.) Esta associação tinha como principal objectivo ajudar todas as trabalhadoras a exigirem melhores condições de trabalho.
Em 1908, mais de 14 mil mulheres marcharam nas ruas de Nova Iorque: reivindicaram o mesmo que as operárias no ano de 1857, bem como o direito de voto.
Caminhavam com o slogan ”Pão e Rosas”, em que o pão simbolizava a estabilidade económica e as rosas uma melhor qualidade de vida.
Mais tarde, o Partido Socialista norte-americano decretou o último Domingo de Fevereiro o Dia Internacional da Mulher.
Foi comemorado pela primeira vez em 1909 e pela última vez no ano de 1913, pois durante uma conferência mundial das organizações socialistas, decorrida em Copenhaga (Dinamarca), a revolucionária alemã Clara Zetkin propôs o 8 de Março como o Dia Internacional da Mulher.
O dia 8 de Março é, desde 1975, comemorado pelas Nações Unidas como Dia Internacional da Mulher.


 

 

Igualdade de Direitos entre Homens e Mulheres

O Dia Internacional da Mulher simboliza justamente a luta pela igualdade de direitos entre homens e mulheres. E não se pode dizer que se trate de uma luta do passado. Apesar dos muitos avanços verificados durante este século, subsiste a distância entre a situação ideal e a situação real da mulher, como reconheceram unanimemente representantes de 189 países na 4ª Conferência Mundial das Nações Unidas sobre as Mulheres (Pequim, Setembro de 1995).
As mulheres constituem a maioria da população situada no limiar da sobrevivência. Em boa parte de África e Ásia, representam três quartos da população analfabeta. Em média, o respectivo salário é quase 40% mais baixo do que aquele que é pago aos homens por idêntico trabalho. Por todo lado, é tido como grave o problema da violência contra as mulheres, em especial no seio da família. A título meramente exemplificativo e de acordo com estimativas da Amnistia Internacional, cerca de dois milhões de mulheres são anualmente submetidas a mutilação genital.
No entanto, vários têm sido os esforços desenvolvidos para eliminar a discriminação entre mulheres e homens.
No plano internacional, é de destacar o papel das Nações Unidas, que adoptou importantes convenções sobre direitos das mulheres (designadamente, a Convenção para a Eliminação de todas as formas de Discriminação contra as Mulheres e organizou quatro conferências mundiais sobre as mulheres (México, 1975; Copenhaga, 1980; Nairobi, 1985; Pequim, 1995). Parte dessa acção teve na sua origem o trabalho da Comissão do Estatuto da Mulheres (CSW), organismo criado em 1946 pelo Conselho Económico e Social das Nações Unidas e para o qual Portugal foi eleito membro em 1995, por quatro anos.


 

(Caso para dizer!!! O nosso País ainda está muito além das expectativas em todos os sentidos.)

Nunca perder a fé quem sabe se a próxima geração terá  mais sorte, embora continuemos sempre atrás na comunidade Europeia, sim porque se formos a comparar mundialmente então é uma vergonha para quem nos governa.

Como também não sou politica prefiro deixar este debate em aberto, comentem deixem as vossas opiniões…

E já agora mulheres ao festejarem o dia 8 de Março não se esqueçam, não é apenas uma jantarada entre amigas, mas sim muito mais…
Tanto é, que Mulheres Perderam a vida para sermos reconhecidas como tal…


Vale um minuto para pensar…

                

Pao e Rosas...

 

http://blogs.blogs.sapo.pt/157050.html#ponto2
publicado por Alzira Macedo às 08:15

link do post | comentar | ver comentários (3) | favorito

Sou assim...

Nas asas da imaginação, sentimo-nos que nem borboletas. Voláteis, frágeis e livres Image Host

Julho 2014

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab
1
2
3
4
5
6
7
8
9
10
11
12
13
14
15
16
17
18
19
20
21
22
23
24
25
27
28
30
31

pesquisar

 

posts recentes

Mulher vulcão

Frase do dia...

A mulher no seu melhor

Ser Mulher...

Falar com franqueza

Momento de reflexão

< <

Myspace Photo Cube

Apareça o sol! - Recados e Imagens para orkut, facebook, tumblr e hi5

mais comentados

comentarios
comentarios
comentarios

Arquivos

Julho 2014

Abril 2014

Março 2014

Outubro 2013

Setembro 2013

Julho 2013

Março 2013

Novembro 2012

Setembro 2012

Janeiro 2012

Dezembro 2011

Setembro 2011

Agosto 2011

Julho 2011

Janeiro 2011

Dezembro 2010

Setembro 2010

Agosto 2010

Julho 2010

Junho 2010

Maio 2010

Abril 2010

Março 2010

Fevereiro 2010

Janeiro 2010

Dezembro 2009

Novembro 2009

Outubro 2009

Setembro 2009

Agosto 2009

Junho 2009

Maio 2009

Abril 2009

Março 2009

Fevereiro 2009

Janeiro 2009

Dezembro 2008

Novembro 2008

Outubro 2008

Setembro 2008

Agosto 2008

Julho 2008

Junho 2008

Maio 2008

Abril 2008

Março 2008

Fevereiro 2008

Janeiro 2008

favorito

A perfeição...

As Contradições do Amor

Quem serei eu

Alzira Macedo-dueto-Sonho...

Teu Nome

Homem do Mar

Amanhecer

Somente Tu

Um pouco sobre mim ...